sábado, 31 de dezembro de 2016

O ano novo de um pobre-diabo e metas para 2017




Eu estava desde sexta pensando no que escrever e quase cheguei a postar um texto na sexta de madrugada, mas achei melhor segurar e mudar o tema, pois estava muito depressivo. Eu ando em uma fase muito pessimista, não por estar vivendo completamente na merda, até porque estou relativamente bem financeiramente, mas acho que é algo fruto de minha mente introspectiva e doentia. Até sem tesão eu estou andando ultimamente, não sei o porquê, talvez falte um pouco de emoção em vinha vida, sei lá... mesmo eu esperando que o ano de 2017 seja uma grande merda, até porque eu sou um bosta e o ano será o simples reflexo do grande excremento que eu sou, é importante fazer planos para o futuro, a fim de reduzir o nosso sofrimento e galgar a felicidade, por mais simples e poucos que sejam estes momentos.

Estava pensando em falar de como foi uma bosta o meu ano de 2016 e como o ano de 2017 seria uma outra bosta também, afinal tudo sempre continua a mesma coisa e é uma grande ilusão pensarmos que tudo pode mudar para melhor como em um passe de mágica, mas não irei chorar não, falarei sobre o blog, metas para 2017 e o meu ano novo. É bobo e infantil pensar assim; no meu caso eu me sinto melhor pensando de forma realista, pois evito me frustrar. Entendam, amigos betas, eu me considero um beta lixão por eu ser pessimista demais e me classificar olhando como base alfas e semialfas. Tem betas asquerosos que ficam se comparando a outros betas do nível B, C e D, aí fica fácil você se achar o bonzão e chamar o pobre-diabo aqui de chorão e cuzão.

Retrospectiva sobre o blog do Pobre-diabo:

O blog é ainda jovem, iniciou em outubro de 2016, mas cresceu de forma surpreendente já no primeiro mês de vida. O blog foi criado em um contexto complicado, em que vários blogueiros fecharam seus blogs. Consegui, através de meus posts, que retratam minhas ideias doentias, atrair grande parte dos leitores destes blogs, betas de todos os tipos, angariando milhares e milhares de views e muitíssimos comentários! Desenvolvi textos inovadores, como o teste de verificação de personalidade alfa-betística, a classificação das personalidades alfa-betísticas e a tabela de idades coerentes entre homens e mulheres, textos que vocês podem conferir na sequência: 

Os leitores fiéis do blog, que acompanham todos os posts e comentários, puderam observar algumas confusões com outros blogueiros, que não gostaram do grande crescimento do blog, pelo fato de o deles estar deserto (tendo alguns que ficar comentando eles mesmo, sendo cerca de 80% dos comentários do próprio dono do blog, como o cara que todos conhecem aqui). O motivo pelo rápido crescimento é que eu sou apenas um pobre-diabo, um mero sobrevivente nesse mundo nojento, e só quero reunir os betas para que tenhamos meu espaço, não sou arrogante e nem quero fama para mim, procuro ser original, compartilhar conhecimentos e experiências e, ao mesmo tempo, aprender também. Agradeço todos os elogios e ajuda dos betas em todos os posts, peço desculpas para os que não consegui responder, pois os comentários são em um número muito elevado e meu tempo é muito escasso.

Ficaram consolidadas as classificações diabísticas de personalidades, assim, através do famoso teste de classificação de personalidades alfa-betísticas (clique aqui), todo homem pode saber qual tipo ele é, se Alfa, Semialfa ou Beta, este último de subdividindo em: Beta A, Beta B, Beta C (também chamado de imundícia) e Beta D (também chamado de excremento); Para consultar as particularidades de cada tipo, o beta pode consultar as classificações de personalidades alfa-betísticas aqui. É muito importante que todos os betas saibam o seu tipo betístico, pois facilita entender as nuances do blog e também das discussões que acontecem aqui, portanto, você que não fez o teste, faça já!

Para o ano de 2017 teremos posts destruidores voltados para os betas, textos não só de fracassos, do universo alfa-betístico, da real e de mulheres, mas também de finanças e outras dicas para nos desenvolvermos. Anotei as sugestões de posts de todos os betas e farei os posts, sim, como o tão aguardado sobre as cidadezinha e sobre remunerações necessárias para uma vida boa, dependendo do grau de betice (A, B, C ou D).

Metas pessoais do Pobre-diabo para 2017

Embora meu ano 2016 tenha sido uma grande merda e eu sabendo que meu 2017 também será, aí vão as minhas metas:

- Emagrecer e perder essa pança nojenta (eu de roupa sou normal até, mas sem camiseta aparece bem essa pança de bosta);
- Treinar mais para ficar maior e impor mais respeito,
- Comprar roupas e calçados novos;
- Praticar algum hobby, algo diferente, a fim de socializar mais;
- Poupar mais dinheiro, cortando gastos desnecessários;
- Ganhar mais dinheiro;
- Gastar mais comigo, visando meu bem-estar, a fim de garantir mais felicidade comigo mesmo;
- Trocar de carro;
- Transar mais;
- Fazer coisas totalmente diferentes, como comer 3 GPs tops, deixá-las de quatro, uma ao lado da outra, e comer o cu delas;
- Fazer alguma viagem boa (irei sozinho, pois ir com namoradinha é coisa de mangina otário).
- Desenvolver mais textos inovadores para o blog.

O ano novo (2017) do Pobre-diabo

Minha família sempre faz um jantar, todos comemos e após vemos os fogos. Todos se cumprimentam dando feliz ano novo. Eu, como sou um introvertido de merda, dou feliz ano novo também, mas com um certo receio, pois odeio contato com humanos muito diferentes de mim (a maioria é bem diferente, porque sou um merda), principalmente com matrixianos. Acho idiota desejar feliz ano novo, sabendo que tudo será a mesma merda. Mesmo assim seguiremos o protocolo para não parecer mais retardado ainda. Agradeço a todos pela companhia no blog e espero que 2017 nós possamos nos reunir mais e compartilhar mais experiências e ensinamentos.


FELIZ 2017!


Abraço do Pobre-Diabo!


Obs.:
- Foi criado um grupo no VK para os betas do blog do Pobre-diabo, desenvolvido por um amigo beta aqui do blog. Estou divulgando para os amigos irem testando e se habituando. Caso a ideia dê certo, eu administrarei lá também e postaremos aqui e lá.
- Conte os seus fracassos de 2016 e suas metas para 2017.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

O mínimo necessário para um pobre-diabo ser feliz


Já é noite, calor, silêncio e tédio. É assim que estou agora, escrevendo pelo celular esse texto de reflexão para o blog deste pobre-diabo, um anônimo com problemas emocionais e, talvez, até psicológicos. Estou nesse momento em um Café de nome estrangeiro em um shopping badalado. Talvez um pouco de cafeína me deixasse mais esperto, pensei eu, então peguei um expresso duplo, que de bom não tem nada, essa porra de café é amargo demais. Terminei esse parágrafo e sai andando, pensando na minha merda de vida e como ela poderia ser, caso eu tivesse muito dinheiro.

Olhando as lojas, com seus produtos inflacionados, que só otarios e mulheres com seus delírios de consumo compram, nada me chamava atenção, pois não ligo para essas coisas, são futilidades para mim. Por ser um leitor compulsivo e por ter sido viciado em temas filosóficos, niilistas, estoicos e pessimistas, acho que ficaram impregnados em mim estes conceitos existenciais. Na verdade, acredito que isto tem sido prejudicial, pois antes, há cerca de 10 anos, eu me considerava mais feliz não conhecendo toda essa realidade, mesmo sendo um fudido na vida e um beta B de merda. Parei em um quiosque e comprei um chope.

De certa forma, tomar uma caneca de 500ml de chope me deixou mais feliz. Parti para a segunda, depois a terceira. Quanto mais álcool eu ingeria, menos eu pensava nos meu problemas e menos triste eu ficava. Pensamentos diferentes passaram a vir em minha cabeça, alguns de certa forma até otimistas; outros conformistas. Passei então a olhar ao meu redor e observar as pessoas. Todos pareciam felizes, rindo e conversando. Suas expressões faciais eram de alegria e a forma como gesticulavam demonstrava entusiasmo. Passei a refletir.

Por que tem pessoas com tão pouco que são felizes? Observo caras que ganham dois salários mínimo, financiam gol bolinha podre, colocam sonzão e nos finais de semana estão felizes da vida com seus amigos, tomando cerveja barata e ouvindo música lixo no carro com o porta-malas aberto. Por que evangélicos são felizes indo ao culto, vivendo uma vida de privações? Por que favelados são felizes no meio de seus amigos, andando igual marginais na rua?  Por que pessoas sem cérebro são tão felizes pulando carnavais? Por que?????

Por que todos são felizes e eu não, mesmo eu ganhando quase 10 vezes mais que muitos deles? A questão está nos traumas que carrego da minha vida, na carência de amizades e de mulheres, na falta de objetivos de vida e na falta de destaque social/status. Podem me criticar, mas essa é a verdade. Como fui humilhado e passei privações desde minha infância, então valorizo demais essas questões. Talvez alfas nem liguem para isso, afinal sempre tiveram tudo, nada os impressionando mais. Infelizmente, não consigo ser feliz,  como eles.

Olhei para uma mesa e vi três mulheres sentadas. Uma loira e duas morenas. Tinham seus 30 anos, eram elegantes; no caso da loira era linda. Esperei durante 10 minutos um olhar delas, porém nao recebi nenhum. Sou invisível. Mesmo que eu tenha muitas outras coisas para ocupar minha cabeça, como cursos e hobby, essa exclusão social vinda das mulheres é muito ruim. Não só de mulheres, mas de amigos e em grupos sociais isso faz falta e dói saber que você não tem graça para ninguém. Isso já me mostra que seria impossível eu ser feliz sem fazer nada quanto ao meu financeiro.

Pensei então: qual o mínimo que este pobre-diabo precisa para ser feliz? Preciso de muito dinheiro? Demonstrar poder e status? Ter muitos bens materiais? Ter muito conforto? Comer mais mulheres?  Ser bem quisto e influente nos grupos sociais? Não adianta negar, todos querem isso, não com a mesma intensidade, mas no fundo todos queremos. Respondendo, eu preciso ter uma condição financeira muito boa sim, pois acredito que o dinheiro vence tudo, até graus elevados de betismo. O que preciso para ser feliz? Preciso de alguns poucos amigos verdadeiros, de um carro que dê um pouco de conforto e status, como um de ano 2014, custando R$70.000,00,  uma casa confortável e bem localizada, ser reconhecido por alguma coisa e algumas meninas para curtir de forma mais relaxada e, também, intensa alguns momentos. É pedir muito?

Como ter essas coisas que faltam? No caso deste pobre-diabo horroroso,  o dinheiro resolve tudo, seja em questão de beleza, de físico, conforto e status. Mulheres gostam de homens bonitos, mas perdem a cabeça por homens que demonstrem poder, coragem e sucesso. Ficam loucas de tesão por homens assim. Fracassados como nós betas elas querem distância, a não ser que ela seja muito zoada, que daí ela irá querer o beta. Com dinheiro vem o respeito dos homens para com você também; quando você demonstra poder financeiro, homens se sentem inferiores e não mexem com você. Pois bem, a partir de hoje farei de tudo para economizar mais ou ganhar mais dinheiro, só assim para eu vencer o poder da invisibilidade. Não adianta eu querer mudar a minha essência, eu só penso em dinheiro e tudo para mim gira em torno o disso. Não adianta eu ler auto ajuda ou virar crente fanático, pois sempre venerarei o dinheiro. Só serei feliz, de fato, quando tiver um dinheiro que se reajuste por si só através dos rendimentos, um carro de patrão, uma casa poderosa, amigos para compartilhar bons momentos e mulheres para fazer companhia e transar. Não me contento com pouco, não adianta negar, é algo mais forte que eu. Para eu ser o mínimo feliz, teria que ganhar uns 15 mil reais por mês, infelizmente. Meu nível de felicidade depende de fatores específicos e difíceis, que envolvem bastante grana. Minha introversão e meu jeito covarde só são vencidos com a minha demonstração de poder através do dinheiro.

Depois de muito refletir, sai do shopping um pouco tonto, mas um pouco feliz ainda, devido ainda ao efeito do álcool. Depois que atualizei o texto e reli, que tristeza que bateu aqui, pois lembro como sou um merda. Como eu queria me contentar com pouco e não ser carente de mulher. Como queria poder gastar meu dinheiro com futilidades e mesmo assim sobrar dinheiro e ser feliz. Como eu queria que todos gostassem de mim. Entretanto, como sei que nunca terei essas coisas, prefiro me destacar financeiramente. Antes de me comparar ao Tio Patinhas, entenda que eu jogo tudo no dinheiro a responsabilidade de me tornar melhor pelo fato de eu não ter nenhum atrativo. Penso em me desenvolver fisicamente também, isso é importante para ganhar respeito.

Cheguei em casa e continuei refletindo sobre coisas que poderiam me fazer feliz. Tentei pensar em questões filosóficas e espirituais, mas não adianta, isso não funciona comigo. Esse negócio de que "dinheiro não traz felicidade, "que você deve buscar a felicidade em seu interior" e que "a felicidade está nas pequenas coisas" são balelas, frases para pessoas conformistas ou que não têm outras soluções para suas vidas. Prefiro ser pessimista e realista a falar coisas sem sentido e mentirosas. A verdade é que o dinheiro vence tudo, pois ele mostra que você tem poder e só ele pode vencer a solidão, a humilhação, a feiura, a chatice, os valentões e as mulheres feias, ainda mais quando você é um beta B horroroso e covarde. Enfim, continuei bebendo aqui em casa e dormi. Acordei somente para postar esse texto de reflexão. Qual o mínimo você precisa para ser feliz?


Abraço do Pobre-diabo.



Obs.:
-Escrevi o texto um pouco alcoolizado e pelo celular. Corrigi em casa e estou postando agora.  Podem ter erros de formatação e de português.
-A quantidade de views e comentários está muito grande. Tem sido difícil acompanhar, mas eu tenho me esforçado para ler tudo e responder. 
-Você pode dizer que o assunto está batido, mas falei sobre a minha ótica diabística e trouxe reflexões/informações legais;
-Ajudem a denunciar os terroristas que aparecem no blog. Não me responsabilizo por comentários idiotas;
-Aos betas artistas que quiserem criar uma capa para o blog fiquem a vontade, usem a criatividade e mandem aqui no blog para que seja analisado;
-Próximo post será o de fim de ano.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O Natal de um Pobre-diabo

O Natal é uma das datas comemorativas mais importantes do Brasil e do mundo. É a data em que as pessoas tornam-se mais amorosas e altruístas. Comemora-se, embora muitos nem lembrem, o nascimento de Jesus Cristo e tem-se, em todos os cantos, a figura caricata do bondoso papai Noel, que, montado em suas renas, visita as casas das pessoas e dá presentes para todos, em especial as crianças boas. Muitas famílias se reúnem, fazem uma ceia com comidas gostosas, trocam presentes entre si, cumprimentam-se, rezam o pai nosso e soltam foguetes. É um momento em que rixas são esquecidas e o amor impera. Tudo parece perfeito, pena que só dura um dia, os outros dias do ano são dias de sobrevivência e seleção natural. É claro que não são todos os natais iguais, com toda essa felicidade, muitos são dias tristes, como foram os natais deste pobre-diabo.

Pois bem, das lembranças que tenho desta data tão especial para todos, nenhuma é tão boa assim. Lembro que a casa ficava sempre cheia de pessoas, entre tios, primos e amigos dos meus pais. Todas as crianças brincavam e interagiam entre si, menos eu, que ficava que nem um autista nos cantos, com medo do convívio social. Como é normal em encontros de família, aquela tia ou amiga da sua mãe, ao ver as crianças crescidas, soltam aqueles comentários do tipo “ele cresceu, hein?”, “que lindo que está ele”, “esse é seu filho? Ele é muito bonito”, porém isso não acontecia comigo. Sempre via as outras crianças ganhando elogios e eu não sendo nem olhado na cara, pois ninguém gosta de gente feia. Ao me olhar, elas deviam pensar: “Meu Deus, que garoto mais feio, de onde surgiu essa besta? Certeza que trocaram o bebê na maternidade”.

O Natal dos meus sonhos.

Depois da ceia, a família se reunia e ia para a entrega de presentes, normalmente os pais dando aos seus filhos e a algum parente mais próximo, tendo que cada um abrir na frente de todos e mostrar. Que tristeza era para mim, quando criança, ver meus primos ganhando presentes bons, como vídeo games, patins, jogos, brinquedos fodas etc., enquanto eu ganhava pacote com 3 cuecas, roupas feias, brinquedos infantis e baratos, jogos de dama ou quebra-cabeças. No lançamento do Super Nintendo, que era febre, meu pai prometeu me dar um no Natal. No dia, vi todos meus primos ganhando o tal vídeo game. Quando chegou minha vez e eu vi a embalagem grande, na hora tive certeza se tratar de um Super Nintendo. Entretanto, quando abri o pacote, vi um Nintendo 8 bits (Nintendinho), sem nenhuma fita, nitidamente usado, que meu pai comprou de um primo meu, que ganhou um SNES nesse dia. Olhei para os garotos e vi alguns deles rindo de mim. Na hora eu comecei a chorar. Além de ter ganhado um presente ruim, apanhei do meu pai, pois ele passou vergonha na frente de todos (detalhe: meu pai tinha condição de comprar um SNES, mas era extremamente sovina).

Em outro natal, dessa vez com meus 14 ou 15 anos, todos os primos já adolescentes e grandes, na hora da entrega dos presentes, eu já nem com muita expectativa, pois só ganhava coisas ruins, ao abrir o meu presente, com todos na sala olhando, não acreditei. Pasmem, era um carrinho de controle remoto, desses pequenos e vagabundos, presente este que qualquer um daria para uma criança de até 10 anos, sendo eu já grande, com voz grossa e perna peluda. Na hora eu fiquei todo vermelho de vergonha e começaram a rir de mim, fazendo brincadeiras me humilhando. Vi na cara das minhas primas e outras meninas, que tinham a mesma idade que eu, que eu era um ser totalmente excluído do mercado de relacionamentos e indigno de ser sequer beijado. Meus primos riram de mim e me evitavam por me acharem sem graça e infantil. Era humilhante demais para mim a hora em que sentávamos nas mesas, pois as pessoas sentavam nas mesas conforme a afinidade. Ou seja, parentes próximos juntos, adultos com adultos, velhos com velhos, jovens com jovens e crianças com crianças. Não sobrava lugar junto aos adultos e meus pais mandavam que eu me enturmasse com os jovens. Os jovens fechavam o grupinho entre eles e me excluíam. Sobrava para eu sentar junto com as crianças. Eu via os caras falando no ouvido das meninas e elas se partindo de rir da minha cara de beta fracassado.

Lembro que quando já estávamos todos adolescentes, todos os jovens já tinham suas namoradinhas/ficantes ou experiências para contar. Meus primos e as filhas de uns amigos do meu pai brincavam de “verdade ou desafio”, brincadeira em que dependendo da jogava você deve responder a uma pergunta ou cumprir um desafio, geralmente tendo conotação sexual nas perguntas e desafios. Eu tinha namoradinhas ou ficantes? Não e nunca tivera. Eu era convidado para a brincadeira? É claro que não! Eu era totalmente chato, sem histórias para contar, sem atrativos, infantil e feio para a meninas vagabundas e sem graça para os primos malandrões. Sempre ficava sabendo que rolavam conversas e até coisas mais picantes entre eles, coisas estas que eu demoraria quase meia década para começar a experimentar. Eu me sentia péssimo e com vontade de chorar, devido ao isolamento deles.

Retrato de um pobre-diabo (EU) nas festas de família

Agradeci aos céus quando, depois dos meus 20 anos, houve uma briga feia entre meus tios e a reunião de família acabou. Em alguns anos até tiveram reuniões, mas deixou de ser regra. Mantivemos apenas a tradição de dar presentes aos nossos parentes mais próximos e viventes embaixo do mesmo teto. Eu sei que é algo que eu não gosto e que não faz sentido para mim, pois o Natal nunca foi uma data alegre para mim, sempre foi um dia de tortura, mas eu tenho que dar presente para meus pais, é uma espécie de obrigação moral, mesmo eles me dando apenas presente ruins e sem graça. Na verdade, nunca gostei do natal. Aquela convivência com um monte de gente junta era torturante para mim, não só pela minha introversão e falta de conectividade com elas, mas por ser humilhado sempre. Pessoas que eu ficava o ano inteiro sem ver, naquele dia eu tinha que fingir que gostava delas. Sempre me senti isolado e sem atrativos para eles. Além de ser humilhado nos outros 364 dias do ano, no Natal também era, e por um bando de pessoas que nitidamente teriam um futuro de merda.

Algumas garotas que outrora eram gostosinhas, hoje são barangas e mães solteiras. Alguns dos caras que riam da minha cara hoje tem uma vida de merda, com esposa gorda, demoninhos para cuidar, sem dinheiro e com empregos de merda. Isso de certa forma faz eu ficar mais feliz, pois vejo que o mundo dá voltas. Tenho certeza que hoje qualquer uma daquelas vagabundas iriam cair matando em cima de mim, logicamente para usufruir de meu conforto financeiro. Embora seja infantil pensar assim, é uma pequena vitória para mim saber disso. Já pensei até em contratar algum serviço de alguns dos meus primos fracassados só para ver eles me servindo e eu dando esporros neles pelo serviço ter ficado ruim. Pensei em contratar uma puta panicat neste dia e deixar ela desfilando na minha casa de top e shorts atolado na bunda, só para ver a cara de inveja desses filhos da puta, que deixaram marcas profundas na minha alma. Seria bom demais ver a cara de fracassados deles, vendo minha vida boa, com uma mulher gostosa, enquanto eles têm uma vida de escassez, tendo que aturar uma baleia feia em casa. Pode ser infantil isso? Quero que se foda, não me importo! Ficaram traumas na minha vinha por tudo o que aconteceu e eu ainda tenho vontade de lavar a minha alma.

Sei que muitos podem me chamar de ingrato por ter uma família e não valorizar, mas o fato é que todas estas coisas me trouxeram traumas e meus pais não foram sábios suficientes para observar isso e me tratarem. Agradeço aos gurus da realidade antimanginística e seus trabalhos, que fizeram eu acordar para o mundo. Eu odeio o Natal. Ninguém lembra do nascimento de Jesus, todo mundo só pensa em se divertir e dar presentes, sendo esses momentos terríveis para mim. Compro presentes obrigado, e ter que mexer na minha porção poupada mensal me irrita demais, mas não posso fazer nada, pois se eu me afastar vou parecer ainda mais isolado e doente do que eu já sou. Enfim, não comemoro o Natal e para mim ele não faz sentido nenhum. Só tive lembranças ruins desta data.

Apesar de toda essa lamentação e eu odiar esta data, desejo a todos os betas do blog:


FELIZ NATAL DO POBRE-DIABO!



Abraço!!!!


quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA DIABÍSTICA DO BETA



Há um vasto número de livros, artigos e texto sobre questões de desenvolvimento pessoal, abrangendo assuntos de várias matérias. Considero isto extremamente importante para nós betas, pois abre a nossa visão para o mundo e de como funcionam as relações humanas, analisando as questões sob uma ótica que perpassa o simples contato físico, oral, visual, e que ocorre antes de tudo em nossa própria mente. Buscar estes conhecimentos e refletir sobre eles nos ajuda a tomar atitudes, evitar outras, mudar a forma de pensar e de agir, com o fim de sobreviver a este terrível mundo alfa-betístico. Se o beta não deseja evoluir, pode abandonar tudo isso e simplesmente viver como um Zé ruela perdedor ou voltar a ser como toda a escória existente, que possuem seus olhos vedados para a realidade.

Não estou falando aqui de Pick-up artist (PUA), em que tenta-se ensinar homens a seduzir e conquistar mulheres, MGTOW (Men Going Their Own) em que homens combatem o feminismo e decidem contrapor-se à sociedade, evitando contato com mulheres, enaltecendo a individualidade suprema masculina e pregando contra o casamento (também sou contra) ou movimento da real, que desmascara as mulheres e suas artimanhas, mas não é tão bem definido, assemelhando-se ao MGTOW, o qual apresenta ideias mais rígidas, todavia diferindo-se, às vezes, em alguns aspectos, como o marriage strike absoluto deste último. Existem, também, outras formas de agir ou “movimentos”, como os soshokukei danshi (herbívoros) e os hikikomoris, existentes no Japão, em que os primeiros possuem desinteresse sexual e pensam somente em si ( alguns parecem muito afeminados) e os segundos que são mais antissociais, aficionados por vídeo games, desenhos e não saem de casa, permanecendo conectados à internet o tempo todo (parecem com um indivíduo brasileiro que tem feito sucesso entre os betas). Há, ainda, outros como o famoso movimento vindo de um blog anterior ao blog do Pobre-diabo, que misturava questões da real, com financeiras imediatistas, pregando viver com um baixíssimo consumo e status, a fim de poupar bastante dinheiro para uma vida idílica no futuro.

Pois bem, como sou um beta muito introvertido, com indícios de autismo, desenvolvi muito bem o meu lado observador e crítico, por isso gosto de conhecer tudo, fazer as devidas relações e, por meio das observações, análises, contraposições e experiências, criar meus sistemas e, a partir destes, minha forma consolidada de pensar e meus planos de ação. Como já devem ter percebido, não gosto de ficar assumindo bandeiras, como as citadas no parágrafo anterior, pois acredito ser algo muito simplório e medíocre você assumir um lado e esquecer-se de tudo o que existe nesse mundo, acrescentando que não somos exatamente iguais e nossa realidade também não, por isso uma forma única de ser não gerará a satisfação máxima de nossas expectativas e vontades, dentro de nossas possibilidades, considerando o nível alfa-betístico que nos encontramos (faça o teste para descobrir o seu nível de betice aqui).

Antes de assumir a preferência por qualquer um dos movimentos, é importante destacar que o que vale, de fato, é apenas se a nossa vida será melhor, isto é, se seremos mais felizes (ou menos tristes). Assim, conhecendo todos os lados e abstraindo o que há de melhor em todos eles, podemos elencar o que trará melhorias para o homem beta. Neste texto não será abordado o material completo do estudo, mas algumas dicas infalíveis para o beta se aperfeiçoar. Esse texto a partir de agora será considerado sagrado, tornando-se um manual diabístico de como o beta deve ser e agir, a fim de não ser engolido pela maldade, egoísmo e egocentrismo alfístico, sobrevivendo a este mundo cruel, sujo e insano. Sendo menos teórico e mais pragmático, como nós betas devemos ser, vamos às dicas do “Manual de Sobrevivência Diabística do Beta”:


MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA DIABÍSTICA DO BETA


As frases deste manual estão no imperativo, pois são mandamentos sagrados que os betas deverão seguir caso queiram evoluir e sobreviver da melhor forma possível no nicho alfa-betístico. Lembrando que o objetivo deste manual é trazer melhorias físicas, psicológicas, emocionais e sociais para os betas e prepará-los para uma vivência menos sofrida. Salienta-se que utilizei o termo “diabística” por ser elaborado por mim, o Pobre-diabo e fazer referência à minha pessoa; o termo “diabólico” passaria uma imagem de algo perverso e malvado, o que não teria nada a ver com o tema. Seguem os 25 mandamentos:

1. Ocupar a cabeça com outras atividades e hobbies
Desenvolver outras atividade e hobbies faz bem para o psicológico e social do beta, evitando estados clínicos de depressão e desenvolvendo o lado psicológico e social. Nestes meios se criam amizades e até relacionamentos (sexuais).

2. Praticar musculação
A musculação altera o corpo masculino para melhor, dando volume, que se traduz em mais autoestima e poder. Além de garantir um corpo mais bonito, que é mais atrativo para as mulheres e mais intimidador para os outros homens, a musculação traz benefícios à saúde e longevidade.

3. Desenvolver o nível intelectual
Desenvolver o nível intelectual é importante em todos os sentidos, tanto profissional, pois sendo mais inteligente poderá galgar trabalhos e remunerações melhores, como social, tendo o beta mais assuntos para conversar, tornando-se mais atrativo e diferenciado.

4. Desenvolver o traquejo social
Este é um dos mandamentos mais importantes. Saber lidar com as pessoas, ser bem quisto, saber conversar e agir no meio social, garantem que o beta não seja um estranho no meio das pessoas, passando a imagem de ser um perdedor e fracassado sem graça.

5. Cuidar da aparência
Isso é óbvio. Uma melhor aparência além de tornar a pessoa mais atrativa, causa uma boa impressão e até dá um ar de credibilidade. Pessoas desleixadas imprimem em seus rostos a imagem de serem desorganizadas e erradas, não passando confiança.

6. Policiar-se com relação à postura
A postura que você tem faz com que todas as pessoas ao seu redor, automaticamente, imaginem como você é. Ou seja, dependendo de como é sua postura, você será considerado um retardado mental ou alguém normal. Portanto, sempre se policie e não transmita uma imagem negativa. Depois de certo tempo você acaba acostumando.

7. Cuidar da imagem transmitida
O beta deve sempre se auto avaliar e imaginar como as pessoas devem estar o enxergando. Deve sempre pensar em todas as possibilidades, afinal, as pessoas são cruéis e pensam sempre o pior do beta. Assim, deve sempre buscar transmitir uma boa imagem de si, cuidando da aparência, da postura, da forma de agir, de falar e o que falar.

8. Demonstrar confiança e competência
Esses são atributos de alfas. Betas que aprendem a demonstrar confiança e competência são mais felizes nos ambientes profissionais, fraternais e amorosos. Falar com autoridade ajuda muito. Ninguém gosta de ficar perto de pessoas que exalam o cheiro do fracasso.

9. Buscar conhecimento sobre múltiplos temas e aprender novas coisas
Saber falar sobre tudo é uma habilidade muito importante no convívio social. A pior coisa que tem é aquele clima de não ter assunto para conversar com alguém depois de ter dado um bom dia ou ser interpelado sobre um assunto simples e banal e não saber dar continuidade à conversa. Passa-se uma imagem de chato, causando repulsa nas pessoas.
10. Buscar elevar seu nível financeiro
Não é dúvida para ninguém que ter dinheiro, além de dar conforto, significa possuir poder. Ou seja, ter dinheiro significa ter felicidade;

11. Não se apaixonar
Apaixonar-se é uma das coisas mais idiotas que existe, pois o homem se ilude e cria expectativas de algo irreal. Neste estado, o homem idealiza determinada mulher e não enxerga tudo o que é inerente a ela, como os seus instintos hipergâmicos e eugenistas. Assim, o betas deverá sempre ser desapaixonado, olhar as mulheres com a racionalidade devida, pois uma mente lógica não o colocará em apuros, como aconteceria se você agisse com paixão, dando ouvidos aos sentimentos, que de inteligente não tem nada!

12. Não idealizar as mulheres
Atitude normal de manginas, idealizar as mulheres significa você se considerar inferior a elas. Fazendo isso, você já se coloca em uma situação de perdedor perante elas. Portanto, nunca idealize uma mulher e a enxergue como ela enxergaria você, ou seja, apenas sob um olhar do que o que ela tem a te oferecer.

13. Não ter pena de ninguém, nem de você mesmo
Betas costumam ser pessoas boas. Pessoas boas costumam possuir empatia e pensar no próximo, muitas vezes tendo pena e agindo com compaixão. Saiba que as outras pessoas não terão pena de você e farão de tudo para te deixar para baixo e ganhar o seu espaço. Não tenha pena de ninguém e faça o que for para ser o melhor e se dar bem. Não tenha pena de você, pois ninguém terá.

14. Não se iludir com mulheres novinhas, lindas e gostosas.
Isso é uma coisa que acontece muito com betas. Ficam idealizando mulheres estilo princesas. Muitos acreditam que quando serem velhos vão inclusive casar com meninas de 18. Isso é a coisa mais idiota que existe. Se o cara é beta e não pega nem baranga, quem dirá sendo velho. Para o beta que quer esse tipo de mulher é apenas pagando GP ou arrumando uma sugar baby.

15. Não ser bonzinho
Ser bonzinho é algo natural para os betas, pois além de não gostarem de ser mal, têm medo de agir no sentido de confrontar as pessoas. Isso não traz nada de bom para o beta, pois sempre será o capacho de todo mundo, nunca demonstrará confiança e não ganhará respeito sendo assim.

16. Ser competitivo
Isso é algo que o beta deve ser, sempre buscando ser o melhor e se diferenciar dos demais. Não adianta ficar na mesmice, não fazendo nada para melhor, e depois chorar que a vida está ruim. Sendo competitivo o beta sempre procurará ser o melhor, tendo como fim sempre ganhar mais dinheiro, a fim de ser liberto.

17. Não se desculpar
O beta não deve sair se desculpando quando erra ou quando desagrada alguém. Perceba que pessoas orgulhas impõe respeito e ninguém mexe com elas.

18. Encarar qualquer pessoa, seja homem ou mulher
Um homem de respeito não deve nunca olhar alguém com medo. Isso é algo que betas fazem, baixam a cabeça para qualquer um por pura covardia. Por isso, se quer transmitir respeito, jamais baixe a cabeça para alguém.

19. Não deixar que zombem da sua cara
Nunca deixar ninguém fazer piada com a sua cara ou humilhar em público. Isso transmite uma imagem extremamente negativa. Se a reação do beta é dar aquele sorriso amarelo ou ficar vermelho e quieto será pior ainda, todos o olharão como fracassado e fraco. Se alguém fizer esse tipo de coisa, o beta já deve na hora encaram, intimidar e enfrentar a pessoa que falou.

20. Não demonstrar medo
Medo é a pior coisa para um homem. Todos sentem nojo de uma pessoa medrosa. Mulheres chegam a vomitar olhando para um beta medroso. Sendo medroso jamais se conseguirá nada, nem profissional, nem com mulheres.

21. Falar em bom tom, com autoridade e nunca gaguejar
Falar em bom tom mostra que você tem confiança. Pessoas que falam baixo e gaguejam demonstram não terem certeza de nada e serem pessoas fracas.

22. Não demonstrar timidez
Timidez traz a imagem de ser fraco e sem confiança alguma. Mulheres têm nojo de homens tímidos. Alfa pode até ter um certo grau de timidez; betas não. Betas tímidos, além de perdedores, são chacotas e causam asco nas fêmeas.

23. Não se derreter com o jeitinho meigo da mulheres
Homens, principalmente betas, quando veem uma mulher bonita com seu jeitinho delicado e meigo se derretem. Nesse estado os idiotas fazem qualquer coisa pela mulher, acreditam em tudo que elas falam e até aceitam ser cornos.

24. Jamais ser mangina
Esse é o principal mandamento do beta. Jamais ser mangina! Homem nenhum deve ficar aos pés de mulher nenhuma. Quanto mais mangina o beta for, mas humilhado será pelas mulheres. Nas relações o mangina tem toda a sua vida sugada, junto com suas energias, seu dinheiro, sua felicidade, seu tempo e suas forças.

25. Não abrir mão do que é seu
Nunca abra mão do que é seu em prol de ninguém que seja. Não abra mão de um centavo sequer. Sempre pense em você e em sua satisfação.


Obs.:
- Se lembrarem de outros mandamentos comentem;
- Sábado terá o post especial de Natal;
- Dia 31 terá o post de ano novo;
- Manifestem-se sobre posts no estilo curtinhas;
- Ajudem a denunciar os terroristas que ficam comentando no blog, pois não me responsabilizo pelas merdas que escrevem e não as incentivo de forma alguma.