sábado, 29 de julho de 2017

Introdução à Filosofia Diabística



Acordo com uma dor de cabeça terrível. Passar a noite bebendo tem o seu lado ruim. Pelo menos me ajudou a distrair um pouco e refletir sobre essa minha vida de merda de um beta B miserável. O lado bom é que tive ótimas reflexões sobre a existência betística. Levanto do sofá e vou lavar o meu rosto. - Que coisa mais horrível! penso eu ao olhar para o meu rosto mais feio que cu arregaçado cagando. Não só isso eu observo, mas também várias rugas, marcas de expressão, bolsas nos olhos, pálpebras caídas e alguns fios de cabelos brancos. Estou ficando velho. 

Passo a refletir novamente sobre a minha vida e começo a ficar cada vez mais triste. Se houvesse uma predestinação para as pessoas, por que logo eu fui escolhido para ser privado da mais genuína felicidade, da beleza física, dos prazeres, das amizades e do sucesso? Por que sempre fui humilhado e rejeitado pelas mulheres? Por que nunca pude ter uma vida como a de outras pessoas? É claro que não sou um vitimista e chorão, sei que na natureza existem os mais fortes e os mais fracos, por isso sempre procuro me desenvolver diabisticamente e me aperfeiçoar dia após dia. 

O problema é que é impossível você vencer em todos os lados. Sempre você vai sair perdendo em algo. No meu caso é o tempo e a juventude principalmente. Quantos jovens vemos curtindo a vida, festando, viajando e ostentando belos carros, enquanto eu sempre fui simples e ainda mantenho uma minha vida normal, mesmo agora podendo me dar vários luxos. Tenho um tio que vem ostentando fotos de suas viagens internacionais, sempre dizendo estar feliz. O detalhe é que ele é separado, paga pensão, ganha a metade do que eu ganho e ainda mora com a mãe, tendo mais de 40 anos. Será que realmente ele é feliz e eu sou triste? Duvido muito, ainda mais agora que me sinto um velho e nao vejo graça em muitas coisas. 

Na verdade, o que sinto é que os sonhos que tinha enquanto jovem já se passaram, não tenho mais aquele vigor para curtição, não acho graça em ostentações, não tenho paciência para ficar de namoros e nem sonho em arrumar uma mulher linda e mais jovem, formando uma linda família. Não estou depressivo, antes que digam isso. Na verdade, estou praticando a filosofia diabística na essência, que é ter uma vida de equilíbrio e viver na racionalidade pura, dando importância apenas ao meu conforto e aos meus prazeres. Quero comer uma boa comida? Como! Quero transar com uma gostosa? Transo (e pago)! Quero viajar? Viajo! Quero beber? Bebo (todos os dias)! A diferença é que faço isso por mim e somente por mim, sem mostrar para ninguém, tampouco tirar fotos e postar nas redes sociais. E é aí que está a grande e sutil diferença.

Eu estava me vendo assim hoje pela manhã com meus quase trinta anos de idade

O problema dos betas, em especial os B, C e D é que como sofremos a vida toda terríveis misobetia e betafobia (ódio e medo de betas), acabamos sendo infelizes e projetando a felicidade sempre no que os outros fazem e ostentam. Na verdade todos os seres humanos são assim e só se importam com aparências, porém os betas acabam sendo ainda mais, pelo fato de nunca terem acesso a boas experiências e sensações. Dessa forma, são sempre infelizes e sonham em ter a vida de outras pessoas. O beta acaba tendo a tendência de ser iludido e extremista, sempre achando que no futuro será rico e se casará com uma garota de 20 anos, linda, loira e gostosa, sendo que ele sempre foi um bosta virjão. Como isso jamais acontecerá, ele conhecerá uma gorda, mãe de dois filhos, que fará um sexo animal com ele e depois prometerá amor eterno. O pobre beta, que já tem tendências manginisticas fortes, vai ser iludido, colocando uma aliança dourada no dedo e dando casa, carro, viagens e presentes caros para a esposinha e os filhos dela. E o beta se auto sabotará se enganando que é feliz. 

A Filosofia Diabística estuda a existência betística através de uma análise puramente racional, sem emoções e ilusões, estudando a sociedade, a psicologia, o conhecimento, os valores, o estético, os princípios e as tradições. O foco da Filosofia diabística está em buscar o conhecimento e a felicidade em si mesmo, transcendendo o senso comum de felicidade, através de uma visão racional da vida, abnegando o consumo ostentatório e exibicionista em prol de apenas consumos com foco no auto prazer. O primeiro passo para isso é o desapego de tudo que remete à felicidade através da exibição e autoafirmação. 

Percebam que o beta imundo sempre sonha em ter uma namorada linda para a exibir em público, a fim de que se sinta menos beta. Sonha em ter um carrão para parecer menos beta. Sonha em morar em um bairro nobre para ser menos beta. Sonha em viajar para postar nas redes sociais e se sentir menos beta. Tudo é para ser menos beta. Alfas e semialfas não são diferentes, entretanto, no caso deles é somente para demonstrar o seu poderio e mostrar como são melhores que todo mundo e como suas vidas são perfeitas (o que não é verdade, pois o exibicionismo é um vício e cada vez eles querem mais e mais, nunca atingindo a felicidade plena).

Não, beta, você não vai ter a vida desse cara. Você vai casar com uma mulher que depois de 5 anos será tão gorda que você não vai conseguir a abraçar e vai gastar todo o seu suado dinheiro para manter seus luxos, a não ser que você se desenvolva diabisticamente

Como essa busca pela felicidade plena é algo insano e praticamente impossível de se atingir, normalmente as pessoas procuram algo para preencher este vazio. Muitas pessoas encontram na religião isso, pois encontram justificativa para sua condição de existência como sendo pela vontade de uma divindade, assim está explicada a sua vida passada assim como a sua futura também, pois está nas mãos de alguém e não de você, que é um fracassado. Assim, essas pessoas aceitam a sua pobre vida como ela realmente é. Sabe o que é mais engraçado? Elas são mais felizes que muitos abastados.

Talvez pareça uma contradição eu falar isso, pois sempre destaco a importância do dinheiro e pode parecer que estou pregando o desapego material, o que não é verdade e não é o foco de tudo. O fato é que tal importância não reside no fato de sair por aí se mostrando para outras pessoas, mas sim de se saciar em todos os sentidos, experimentado todos os prazeres e conforto possíveis, excluindo o prazer ilusório do exibicionismo, que é o que a maioria busca quando tem um dinheiro a mais. Ou seja, o foco de tudo está em você mesmo. 

Pensando assim o beta não ficará se iludindo e aceitará a sua condição. Betas jamais serão alfas, a menos que ganhem na Mega Sena. Betas velhos, fedendo a mijo e ganhando 4k por mês jamais casarão com modelos da Victoria's Secret. Betas poupando mil por mês jamais terão a vida do Dan Bilzerian. Betas treinando, tomando Whey e usando bombas falsificadas jamais terão o corpo do Jeff Seid. Pare de se espelhar em figuras extremas e ficar se iludindo, achando que tudo será diferente. As pessoas não mudam, as personalidades não mudam, nada muda. Portanto, pense no seu conforto e prazer próprio somente, buscando com todas suas forças ter condições para se saciar, sabendo que só o dinheiro será capaz de fazer isso por você.

Por fim, destaca-se a importância de se viver conforme a filosofia diabística e a importância de se desenvolver diabisticamente, evoluindo no físico, psicológico, social, intelectual e financeiro (sendo os dois últimos os mais importantes), pois só assim o beta será menos triste, diminuirá o sofrimento de sua vida e as frustrações presentes e futuras, deixando as ilusões e extremismos de lado. Reflitam sobre isso. Enfim, tenham um ótimo fim de semana, caros betas, estou indo agora comprar cervejas artesanais, o verdadeiro elexir dos deuses, para relaxar durante a tarde. À noite vou me render a um bom vinho (gostoso e barato) e jogar conversa fora com uma garota que conheci em um evento da minha empresa. Acho que o diabinho cabeçudo irá brincar essa noite! 



Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Para que uma namorada/esposa serve para um beta?


No alto da minha ebriedade após provar deliciosas IPAs e Stouts, lembrei dos meus últimos namoros e seus desdobramentos. Todos começaram de formas diferentes, porém terminaram praticamente do mesmo jeito. É incrível o poder avacalhador que a personalidade betística tem sobre a mentalidade feminina, pois não basta não sermos atraentes, temos ainda que sermos repugnantes, asquerosos e detestáveis.

Betas guerreiros defendendo a sua virgindade a todo custo

Eu lembrei que ficava surpreso ao ver aquela pessoa tão amável e respeitosa comigo se transformar em uma pessoa com ódio em seu coração e rancorosa em um estalar de dedos sem motivo algum. Lembrei que ficava destruído ao ser chamado para uma "conversa séria" em que a última coisa que eu cogitava era o término da relação. De ouvir que "o problema não é você, o problema sou eu" e no mesmo dia ver fotos em redes sociais da até então minha namorada já saindo com outro cara. Mais patético que isso era eu implorando de joelhos para não ser abandonado e meu ex-amor me negar a sua companhia por um motivo que já se apresentava imutável. Qual a surpresa ao relembrar disso e perceber que meus antigos relacionamentos já estavam fadados ao fracasso desde o seu início? Daí fiquei me perguntando o porque disso acontecer. E o pior, o porque disso acontecer ainda hoje quando chamo alguém para sair, mesmo eu não tendo interesse em ter um relacionamento sério.

No fundo, além da minha betice escancarada e da minha cara mais feia que cu cagando, acredito que uma das coisas que contam é o fato de eu não me importar em demonstrar minha condição financeira e posição no emprego. Mulheres sempre se surpreendem com homens que possuem poder, seja financeiro, seja social. Basta lembrarmos da nossa adolescência em que numa época em que ninguém tinha disponibilidade financeira a não ser aquilo que nossos pais nos disponibilizavam e nós, pequeninos betinhas, éramos colocados de lado pelas menininhas que direcionavam sua atenção aos maloqueiros e aos engraçadões. Agora crescidos, somos colocados de lado por não dispormos das características de demonstram abundância de recursos e sucesso. 

E por que isso acontece? Diferente de uma cidade pequena em todos se conhecem, nas cidades médias e grandes a quantidade de pessoas que lá se concentram é naturalmente um impeditivo natural para que estas se conheçam entre si, o que nos induz a apenas sermos reconhecidos em nossos grupos sociais. Assim, de forma a facilitar ser reconhecido pela sua "qualidade", quanto mais facilitado for aos desconhecidos o reconhecimento que você é bem sucedido, seja pelo seu carro, pelas suas roupas, pelo que você gasta numa balada, mais fácil será ser visto como alguém interessante e confiável, independente se esse dinheiro gasto for decorrente de dívidas ou de suas economias. Isso é automático. Pouco importa se você ou sua família tem dinheiro guardado e ele gera gordos rendimentos se ele não for ser gasto com patifarias ostentatórias. Aqui percebemos que o parecer-ser é mais importante que o ser.

Reação da mulher ao saber que você é um sovina

E por que entrei nesse assunto? Porque isso tudo tem a ver com mulheres. Uma das principais razões para eu ser dispensado pelas mulheres que eu namorei era esse fato de eu não ver graça em consumo ostentatório. Como não gosto de viajar e não tenho coragem de torrar meu dinheiro diabístico com futilidades, essas mulheres já pensavam: "caramba, o que eu estou fazendo com esse ser imundo e derrotado que não possui um mísero puto a mais no bolso para me levar a um lugar melhor que esse restaurante de bairro e ainda vai querer que minha sobremesa seja essa gelatina genérica e não aquele delicioso petit-gateau?" Não estou inventando isso aqui, pois eu vi no aplicativo de mensagens dela esse comentário como esse com uma amiga. Acredito que se ela soubesse da capacidade financeira abastada desse Pobre-diabo, muito provavelmente ela aceitaria ir comer um cachorro-quente na esquina e ainda imploraria por sexo só para manter esse homem para ela.

Da mesma forma que elas reclamam que os homens as vêem como objetos ou um pedaço de carne, elas nos vêem como carteiras de pernas. E independente do poder financeiro dela, o que importa é o tanto que você gastará para provar quanto vale a companhia dela para você, o que refletirá em fotos compartilhadas em redes sociais para "criar inveja nas amigas e principalmente nas inimigas" (como odeio essa expressão!). Essas, ao verem isso, vão infernizar os seus homens para que as levem em lugares melhores que aqueles que as suas concorrentes foram levadas, fazendo os mocorongos gastarem mais apenas para mostrarem que elas são tão boas quanto aquelas. E o homem, para querer agradar a sua namorada/mulher fútil, cede e sente orgulho em estar gastando dinheiro com a vaidade dela que com sua satisfação pessoal masculina (e o pior é que a chance de transarem será mínima). A mesma regra vale para as viagens. Claro que poderão ter mulheres exceções, mas essas são raridade. Ou são feias, gordas, velhas ou mães solteiras. Se ela for bonita e nova, a chance de ela se enquadrar na descrição acima é de 99,99%.

Não, seu animal, elas não estão rindo para você, mas de você.

É para isso que uma namorada/esposa servem para o beta: para o tornar mais infeliz e mais pobre do que já é. O início da relação pode ser uma maravilha, mas ao longo do relacionamento elas botarão as suas garras para fora. Elas são seres demoníacos por dentro, extremamente egoístas, cruéis e interesseiros. Eu quase morro de raiva quando leio nos comentários que betas cabaços que sequer trabalharam na vida acham que vão ficar ricos e namorarão panicats e que estas os amarão pelo que são. Será que vocês são burros a ponto de não perceberem que o fato de não ser bem sucedido é como ser um leproso para elas? Pior, nem ser rico hoje é garantia de algo. Não viram o caso do Eduardo Costa que deu um carro de R$600 mil para a namorada e no outro dia ela terminou com ele? Se ele que é rico e menos zoado que os betas, imagine se uma mulher gata, nova e gostosa vai querer ficar com vocês apenas por amor? A única mulher que ama vocês é apenas a mãe, o restante delas apenas te aturam.

Não se iludam com o rostinho bonitinho que sorri envergonhado quando você acha que sua cara de macho conquistador e dominador a está apaixonando. Ela apenas está reagindo inconscientemente ao seus instintos, manipulando você, o futuro provedor, a aceitar que ela é fraca e precisa de proteção quando na verdade elas são mais fortes psicologicamente e emocionalmente que os homens. Nunca se esqueçam que o dinheiro que a  mulher ganha é dela e que o seu é do casal. Vocês podem me acusar de machismo, mas leve uma mulher para jantar com outros casais e não pague a parte dela quando todos os manginas pagaram a parte de suas respectivas acompanhantes para vocês verem o que acontece. Tanto os cornos como as safadas te olharão com um olhar condenador, fazendo você se sentir um bosta por não ser parte da manada. Até mesmo nesse momento as feministas deixam de serem feministas.

O amor é lindo, não é?

E no final, quando você acordar para a realidade, metade de tudo o que você conquistou na vida já é dela. Aí já é tarde, pois todo o seu tempo, seu dinheiro, sua juventude, sua vida, foram depositados numa conta a fundo perdido. E caso tente recomeçar a partir desse ponto, as chances de você se foder será mais alta ainda, pois estando destruído psicologicamente e emocionalmente, você será presa fácil para que outra mulher repita a história que você acabou de passar te iludindo que ela é diferente. Não amigão, ela não é diferente, nem ruim, você que é burro e gosta de ser dominado. E se não entendeu, retorne ao quarto parágrafo e releia todo o texto com seu dedo médio enfiado no rabo para entender que será assim que você será visto: um beta fodido e emasculado.

sábado, 22 de julho de 2017

Confissões diabísticas



Hoje estou muito reflexivo. Olhando-me no espelho, reparando algumas rugas a mais, olhos mais caídos, gordurinhas extras, semblante cansado, passei a lembrar do meu passado, do qual eu não me orgulho, afinal, o que podia se esperar de um beta B mais feio que cu cagando, pobre, tímido e sem graça? Comecei a ficar triste, o que fez com que eu imediatamente fosse em direção à geladeira, pois lá havia um antídoto para isso, chamado cerveja artesanal. 

Tomei um copo, dois, três... O sabor delicioso da IPA fez com que eu continuasse lembrando dos momentos de tristeza, porém sem a dor que me atormenta até hoje. Aí então me veio a ideia de escrever esse post, em que faço confissões sobre a minha vida betística, acompanhada de uma boa reflexão, pois acredito que, além de divertir os betas, posso ajudar a não fazerem as burradas que eu fiz e até aliviar quem já fez também. Tenho certeza que você vai se sentir menos retardado ao ler as cabacices, manginices e idiotices que já fiz. 

O que as vezes fico pensando é o porquê eu ter sofrido tanto assim. Será que foram esses traumas que me fizeram ser ainda mais beta ou eles só foram reflexo do ser repugnante e mangina que eu sempre fui? Será que eu realmente merecia passar por tudo isso? Enfim, acompanhem minhas confissões e façam as suas nos comentários! 

Traído pela namorada e pelo amigo


Imaginem um beta escroto com sua namoradinha feia. O garoto faceiro estava apaixonado, acreditava no amor e não ligava para a beleza da garota, afinal, o que ele podia esperar sendo mais feio que um cu cagando? Pois bem, apresentei minha namoradinha ao meu amigo, um ex gordinho que só tinha eu como amigo. Depois de 6 meses de namoro ela passou a me evitar, respondia menos as mensagens, não deixava eu a tocar etc. Até então eu não tinha transado com ela, pois a menina dizia que era conservadora. Certa vez, ao vasculhar o computador dela, vi vários e-mails e mensagens desse meu amigo, mensagens calorosas, por sinal. Eu quis me fazer de ruim e falei que iria terminar com ela, a qual somente disse: "tudo bem, diabo, será bom para nós dois pensarmos melhor", tendo meus olhos enchido de lágrimas. Depois disso ela assumiu namoro com meu ex amigo.  Eu como um bom beta imundo e corno implorei para ela não me deixar. Tem cena mais patética que esta? Nunca confie em ninguém, principalmente se envolver dinheiro e mulher.

Garoto infantil e sua lancheira


Um dos traumas que carrego até hoje foi quando eu tinha meus 11 ou 12 anos e havia mudado de escola. Naquela época, minha mãe superprotetora preparou as minhas coisas para o primeiro dia de aula na nova escola. Não sei se é comum em todas as escolas por aí, mas as crianças andam com lancheiras apenas na pré escola, quando têm seus 5 ou 6 anos de idade. Eu como era um garoto retardado e mongo, aceitei a lancheira que a minha mãe me deu, totalmente infantilizada para alguém que era quase um pré adolescente. Ela dizia que era mais organizada e dava para separar bem as comidinhas. Eis que Pobre-diabinho, um betinha B feio, chega e entra na escola com sua lancheira. Na hora todos deram gargalhadas e o menino tímido e escroto começou a chorar. Tomaram a lancheira e começaram a jogar futebol com ela. Depois disso, o menino entrou na sala, com cara de choro, cabeça baixa e com vergonha de encarar a todos nos olhos, pois se sentia o pior de todos. E foi assim por muito tempo. 

Apanhei de crianças de 11 anos


Quando eu tinha uns 15 anos eu me envolvi em uma briga com dois meninos de 11 anos de idade, que tinham a metade do meu tamanho. O motivo foi porque eles me provocavam quando eu passava por eles, dando-me apelidos que me irritava muito. Eu como era maior que eles fui tirar satisfação, achando que iria intimidá-los. O que aconteceu foi que eles vieram para cima e me encheram de socos e chutes, inclusive um no saco que doeu muito e me derrubou. Como eram crianças, eu não tive coragem de revidar. Preciso dizer que virei chacota de todo mundo, sendo conhecido como o marmanjo fracote que apanhava de crianças? 

Uma cartinha de amor


Eu como era um beta B, beirando a classificação C, era realmente tosco. Até então não conhecia o mundo como ele é, não conhecia a real e ainda nem imaginava que um dia seguiria a filosofia diabística. Era daqueles escrotos que acreditava no amor e nos contos de fadas. Nessa época, eu era apaixonado por uma garota. Tínhamos 19 anos e pertencíamos a um grupo (não quero dar mais detalhes). Eu imaginava que tinha chances com ela, mesmo ela sendo bonita e descolada e eu sendo um beta isolado, escroto, tímido e perdedor. Como o beta sempre tende a fazer merda que o deixe ainda mais ridículo, eu entreguei uma cartinha de amor para ela, sim eu fiz isso, atestando a minha virgindade. O que eu não sabia era que ela namorava um maloqueiro, o qual pegou a cartinha e a leu para todos daquele lugar. No dia seguinte fui zoado até não aguentar mais. A minha vontade era só de chorar, porque me sentia ferido direto na alma. Não sabia que a garota só queria saber de dar a buceta e se engasgar na pica do maloqueiro, que se mostrava muito mais homem do que eu. Achava que minhas palavras de amor a conquistaria... 

Um pobre-diabo poeta


Este pobre-diabo se sentia uma pessoa sensível, amorosa e poeta. Achava que as garotas se derreteriam se lessem as poesias que fazia (que ao mesmo tempo eu morria de vergonha de mostrar para alguém). Achava que o mundo era como nas histórias encantadas de príncipes e princesas encantadas. Acreditava nas histórias românticas. Será que existia alguém mais tosco, beta, virgem, emasculado e broxante do que eu? Qualquer mulher que fosse ler minhas poesias iria ficar com vontade de me encher de porrada e mandar eu virar homem, mas eu ainda achava que iriam se apaixonar. Eu tinha até um caderno de poesias, acreditem. Pois bem, certa vez dois primos meus pegaram meu caderno e levaram para os caras da vizinhança ver também. Quando eu cheguei e vi o caderno na mão deles e eles recitando as poesias às gargalhadas eu queria sumir de lá, talvez nunca ter existido. Minha fama foi de frouxo, mulherzinha, boiola e marica a partir de então. E foi assim que acabou a minha vida de poeta aos 17 anos. 

Uma namorada sensível


Com meus 25 anos arrumei uma namorada (obviamente feia, porém menos que eu). Eu era louco de apaixonado por ela, tanto que a levava para sair toda semana, a enchia de agrados, carinhos e presentes. Gastava meu salário inteiro com a moça. Ela, porém, era mais fria e passou a ser cada vez mais, afinal, que mulher que sente tesão por um mangina tosco assim? Eu havia feito sexo umas duas vezes com ela (e na vida não tinha sido muito também). Nós costumávamos nos ver mais de tarde ou noite, porém em um sábado eu quis fazer uma surpresa e fui na sua casa de manhã. A mãe dela demorou um pouco para abrir a casa e quando entrei ela estava no banheiro. Quando saiu, estava com a cara inchada, de quem passou a noite toda acordada, toda cheirosa, um pouco bêbada e com maquiagem no rosto ainda. Eu como era um mangina otário, desconfiei que ela havia saído de noite, mas mesmo assim queria acreditar que não e fingi que nada aconteceu.

Fomos para o quarto e deitamos na cama. Comecei a tentar tocar o corpo dela, mas ela ficava se esquivando. O bafo dela estava horrível e mesmo ela tentado encher de pasta de dente, ainda sentia o odor de quem passou a noite bebendo. Quando tentei acariciar sua buceta, ela falou que não queria, pois estava sensível aquele dia e que precisava de carinho e não de sexo (e eu tentei me enganar que nada aconteceu aquela noite). A partir daí comecei a gastar ainda mais com ela, mesmo ela não transando mais comigo. Somente depois eu descobri que ela realmente saía toda sexta para a balada e transava geral com a rapaziada e que na verdade era a buceta dela que estava sensível e fedendo à camisinha por transar tanto com Ricardões pirocudos, enquanto eu, além de não transar, bancava os luxos da garota. O pior de tudo foi que ela ainda que terminou comigo. 

Reflexões 

Só de lembrar dessas confissões que fiz a vocês eu já começo a ficar com raiva de mim.  O pior é que eu tenho muito mais histórias ridículas para contar, que deixarei para outras oportunidades, como aquela que já contei em que levei uma garota para sair e ela ficou com outro cara lá, sendo que eu ainda paguei bebida para os dois e levei ela para casa depois. Como que eu podia ser tão tosco, mangina, burro, mongoloide, virjão, covarde e otário? Como eu queria que naquela época alguém tivesse me apresentado a filosofia diabística e me dado porradas toda fez que eu fizesse merda. Tenho certeza que eu não teria sofrido tanto e não seria o cara problemático que eu sempre fui e cheio de traumas. Talvez eu até poderia ser um Beta A e não um beta B escroto. 

O importante é sempre estar se desenvolvendo e essa é a lição que fica. Você, beta, que passou por momentos difíceis e ainda passa, que teve muitos traumas na vida, saiba que podemos mudar de vida sim, basta aceitarmos nossa condição de beta e tentar se desenvolver de forma diabística, como ensinamos nesse reduto internacional, viril, másculo e diabístico. Como betas, já nascemos perdendo na vida, como no meu caso que sou mais feio que cu cagando e tímido, não sendo nada atrativo para as pessoas, sendo o dinheiro a única solução (juntamente com o desenvolvimento diabístico)! Enfim, preciso tomar algumas cervejas artesanais para relaxar e aproveitar esse sábado. 


Um abraço do Pobre-diabo! 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Como virar milionário (sendo um beta)?


INTRODUÇÃO 

De um tempo para cá, temos visto uma quantidade enorme de pessoas falando de sucesso, citando exemplos de pessoas que ficaram ricas. Alguns betas, impressionados com esses pseudovencedores, ficam pedindo que eu desenvolva alguns métodos diabísticos de como ficar rico e vencer na vida. Para embasar seus argumentos, alguns betas iludidos ficam dando exemplos de médicos, atores globais, jogadores de futebol, juízes, promotores e delegados. Isso me irrita demais, pois para esses imbecis até parece que é tão fácil assim vencer na vida, ficar rico e virar Alfa sendo um beta B, mais feio do que cu cagando, autista, pobre, que só estudou em escola estadual e que sofreu a vida toda bullyings, misobetia e betafobia! 

Entretanto, caros betas, como fui desafiado por alguns, que dizem que sou pessimista demais, desenvolvi esse post que vai te ensinar a ficar milionário (de forma lícita). Isso mesmo, eu irei te ensinar a ficar rico e poderoso, bastando para isso seguir um dos cinco caminhos a seguir:

1. Aposte na loteria


Uma das formas mais fáceis de vira milionário da noite para o dia, saindo de sua vida de pobre fracassado para alguém rico e poderoso é ganhando na loteria. A probabilidade de você ganhar na Mega Sena, por exemplo, não é tão difícil, é só uma em cinquenta milhões. Basta acreditar, não é mesmo? Tá perdendo tempo porque? Vai apostar logo, beta imundo, pois gostosas de fio dental, Ferraris, Lamborghinis e mansões nos Jardins te aguardam!  

2. Case com uma mulher rica


Isso mesmo, beta, jogue todo o seu charme de beta imundo em uma mulher rica e de preferência gostosa, para que você não se enjoe dela. Não esqueça de casar com comunhão universal de bens para ficar com metade da fortuna dela. Tenho certeza que elas vão se apaixonar pelo seu jeito desengonçado tipo o Batoré e a sua cara horrorosa mais feia que cu cagando. Dicas: só case com ela depois de olhar seu contracheque, conta bancária e carro. Se ela ganhar R$100.00,00 por mês, tiver R$5.000.000,00 na conta bancária e no mínimo um Mustang GT, você poderá casar com ela com comunhão universal de bens sem arrependimento algum.

3. Desenvolva um aplicativo


Crie um app que revolucione a tecnologia, afinal, isso é fácil e está ao alcance de qualquer pessoa. Olhe aquele Mark que criou aquela rede social idiota. Ele é um como qualquer um de nós, só teve uma ideia boa na hora certa. Para que trabalhar se você pode criar um aplicativo e vender ele por milhões, não é mesmo? Nem deve ser tão difícil assim... 

4. Comece a cantar Funk e vire um Mc


Com seu estilo único, que chama a atenção por ser o diferentão no meio de todo mundo, com toda a certeza você ficará famoso e virará um imã para ganhar dinheiro e para atrair mulheres gostosas. Mc Beta B, que tal esse nome artístico? Imagine você, com seu carrão, suas correntes de ouro e muito dinheiro no bolso, andando com tem loiras lindas de bunda redonda e enorme! Não precisa ter um vocabulário muito amplo para criar suas letras, basta colocar as palavras "senta", "bunda" e "novinha" na sua música que ela fará sucesso, internacional inclusive. 

5. Crie uma invenção


Após criar sua invenção já faça a patente dela. É muito a fácil criar algo que ninguém tenha pensado, basta usar essa sua mente de beta, que sempre venceu na vida e nunca sofreu bullyings. Depois disso, divulgue a sua criação e aguarde que alguém com certeza irá pagar uma fortuna por essa invenção e o direito de usar ela. Mas atenção, invente algo que seja útil e fora do comum e só o venda por mais de R$10.000.000,00 para que você tenha dinheiro suficiente para ter uma vida de rei e nunca mais precisar trabalhar. 


CONCLUSÃO 


Obviamente que eu fui extremamente sarcástico nos passos para ficar rico e poderoso que citei acima, beirando ao ridículo até. Foi só para descontrair um pouco e mostrar que não devemos ser iludidos e extremistas, pois o poder e a riqueza foram feitos para pouquíssimas pessoas. Podemos ganhar um bom dinheiro sim, porém, ficar rico como o Neymar ou poderoso como o Dan Bilzerian, comendo muitas gostosas, já é exagero, ainda mais para seres como nós, sem atrativos nenhum, complexados e invisíveis na sociedade, por isso que me irrita demais ver betas asquerosos se achando especiais e sendo extremistas. Juro que se um babaca assim estivesse na minha frente agora iria tomar uma cabeçada na boca e perder todos os dentes da boca. Saibam que o que necessitamos sim, antes de tudo, é nos desenvolver de forma diabística, buscando sempre o equilíbrio e a racionalidade. 

Devemos sempre sonhar com os pés no chão e saber aonde que podemos chegar com nossas capacidades, conhecimentos, network e esforço. Não existe dinheiro fácil, como pregam por aí e alguns otários repetem aqui, assim como ter o corpo fitness de famosos é extremamente difícil para betas sem grana (como um bem conhecido por nós) ou enriquecer através de empreendimentos não tendo um capital inicial razoável (primeiramente porque o retorno sobre o capital investido é muito baixo, geralmente em torno dos 5%, e porque a grande maioria entra em falência antes dos dois anos). Não se iludam, betas, antes disso, analisem as possibilidades. 

Portanto, betas, estudem muito e escolham bem o caminho que irão trilhar (caso sejam jovens e não tenham escolhido o que vão fazer da vida). Se você já tem mais idade, faça cursos, estude, desenvolva seu lado social e aumente o seu network. Guarde e invista o máximo que puder, pois é a forma mais fácil e segura de ganhar dinheiro e garantir o seu conforto futuro (lembrando que uma vida confortável e acima dos padrões normais você só terá após os 45 ou até 55, caso seja um mero mortal como esse beta aqui). Por fim, lembre que se desenvolvendo de forma diabística, de forma racional e lógica, evita que você se frustre, pois estará vencendo  a vida com os pés no chão e não sonhando com uma vida ilusória que jamais terá. No mais, aguardem que em breve farei um post sobre profissões para betas, que irá revolucionar o mundo betístico-diabístico! 



Um abraço do Pobre-diabo! 

sábado, 15 de julho de 2017

Como pegar mulher sendo um beta imundo



Sei que alguns aqui devem ter dado gargalhadas ao ler o título do post e ficado até com vontade de me encher de porradas na cara e bicudas na bunda, afinal, o que um beta B, mais feio do que cu cagando, uma mistura de Batoré com Cerveró, sem graça e tão brega quanto o Reginaldo Rossi pode ensinar sobre como pegar mulher? Realmente parece uma piada e de muito mau gosto ainda. 

Entretanto, nobres betas, tenho certeza que pela minha vivência de quase três décadas, experiências, inúmeras humilhações e a minha capacidade fora do comum de observação, interpretação, reflexão e criação de padrões por eu ser um autista que beira ao retardo mental, socialmente falando, posso sim ajudar os betas a como pegar mulheres ou, pelo menos, ensinar o que não se fazer para ser mais humilhado ainda e colocado para baixo (no quesito "ser humilhado" e causar nojo nas mulheres eu sou perito!). Enfim, seguem algumas dicas diabísticas infalíveis para aquele momento da "conquista"! 

Preparem-se, betas, para o que eu irei dizer, será algo que irá revolucionar a vida amorosa e sexual de vocês. Com essa dica vocês irão pegar a mulher que quiserem, seja morena, loira, ruiva, alta, magra, feia ou gostosa. Sem mais delongas, vamos lá. Primeiramente, tome banho e procure estar cheiroso. Certifique-se que tenha dinheiro para gastar. Depois, entre em um site de buscas e digite "acompanhantes". Agora escolha a garota que você quer, ligue para ela, faça as devidas tratativas e vá ser feliz. Pronto, você irá pegar a mulher que você quer, mesmo sendo um beta excremento.

Você estava achando mesmo que um dia pegaria uma dessas? Você só pegou barangas a vida inteira e só transou no máximo com duas mulheres, sendo que as duas você teve que pagar e agora vem me dizer que não é impossível pegar uma dessas, seu beta de merda? Não me provoque, senão eu vou aí te meter a mão na cara, seu babaca! 

Para quem achou que eu iria dar dicas PUA só lamento. Eu abomino essas merdas, até porque o que mais importa nisso tudo é a sua genética, sua grana, seu carisma e como você vende sua imagem. Não são macacadas que farão você conquistar uma mulher, ainda mais se você é ridículo e horrendo igual a mim. Só idiotas acreditam nessa bosta de "ganhar a gata no papo", a não ser que esse papo seja você mentir e conseguir fazer a ganância da fêmea falar mais alto. 

Enfim, sobre o assunto o beta sempre deve ter em mente que é um João ninguém, ou seja, pare de sonhar com a sua princesa encantada com corpo de panicat, seu filho da puta, você não tem barganha para pegar uma dessas sem pagar, muito menos para manter ela! Esse tipo de beta iludido me irrita muito, agora mesmo dei um soco na mesa de tanta raiva que estou e minha mão está doendo. Terei que tomar mais uma cerveja artesanal para me acalmar. 

Essa gatinha vai te ver na balada e é capaz de te esnobar ainda por você ser um beta ridículo. Caso você utilize técnicas PUA, você poderá estar no lugar desse rapaz da foto e conquistar o coração da adorável garota.

É muito simples, se quer pegar civil, baixe o nível. Se você é um beta B, mais feio que cu cagando e pobre, só magrelas feias e desengonçadas ou gordas de cabelo sarará vão te querer. Se além disso você for velho e tiver essa cara nojenta de bode velho então esqueça. Pare de sonhar com novinhas, seu animal fétido! Digo e repito, só o dinheiro salvará o beta. Se você tiver uma certa fama em grupos específicos isso também pode ajudar, porém a longo prazo só o dinheiro vai garantir o seu conforto, poder, prazer e felicidade. 

Agora, vou tomar mais uma IPA para ver se me acalmo e se o sono vem, pois estou irritado e numa depressão do caralho hoje. Parece que tudo conspira para fazer o beta se foder. Depois de uma semana inteira difícil no trabalho eu só queria me divertir hoje. Porém, o esquema que estava arrumando com uma garota não deu certo. Certamente ela percebeu que a noite na cama dela seria muito mais interessante do que estar comigo e isso é triste demais e me deixa muito revoltado. Será que se eu fosse menos feio, tivesse um carro esportivo e centenas de curtidas em fotos em viagens internacionais as coisas seriam diferentes? Ser um beta B não é fácil. 


Um abraço do Pobre-diabo! 


Obs.:
-Continuem mandando suas sugestões no e-mail diabístico (pobrediabo@protonmail.com), é muito importante para a manutenção do reduto internacional betístico diabístico;
-Um beta sugeriu para criar uma página no Facebook. Deem suas opiniões. 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Uma noite (quase) diabística


Ultimamente eu tenho andado muito estressado, seja pelo meu amigo que levou um tiro há uma semana cuja recuperação será lenta, seja pelo toco extremamente ridículo que tomei da Valentina (aquela que saiu comigo e disse que não estava pronta para se envolver), seja pelo meu emprego em que meu chefe tetudo e bafento está sugando a minha alma a cada dia no trabalho, tive que buscar um jeito de aliviar essas cargas. Prontamente assim que cheguei em casa, tomei um banho e me arrumei, decidido de que nesse dia eu teria uma noite diabística.

Após chegar ao bar em que costumo degustar as minhas deliciosas cervejas artesanais, as quais tanto amo, além de me sentir extremamente enojado de estar saudando a Onã com uma frequência diabisticamente não vista, acabei me rendendo aos prazeres da concupiscência carnal, o que me motivou a ida a um templo da luxúria. Lá chegando e ainda estando sob o maravilhoso efeito felicitante e transcendental que as IPAs e Stouts causam em meu corpo, encontrei uma sacerdotisa muitíssimo agradável de olhos claros, rosto expressivo e beleza exótica, a qual lembra uma atriz muito linda chamada Misha (pelo qual nome a homenagearei), com a qual me encantei. Seu rosto juvenil de expressão suave e inocente cujos cabelos são castanhos, seu corpo nem alto, nem baixo, mas escultural estilo uma falsa magra com seios naturais redondos e bundinha arrebitada, fizeram o meu membro diabístico enrijecer a ponto de eu sentir que rasgaria minha cueca naquele momento, tamanho o nível de lascividade desse que vos fala.



Meu cérebro betístico começou a especular milhões de coisas, visto que eu estava deslumbrado pela forma como uma mulher maravilhosa como aquela estava olhando nos olhos opacos e sem graça de um pobre-diabo como eu. Imaginem, até pensei como seria a ter como namorada, porém minha mente diabística, muito mais forte que minhas necessidades betísticas, trazia-me para a realidade e me incentivava a APENAS satisfazer minhas necessidades masculinas. Voltando à realidade e me estabelecendo como um verdadeiro beta diabístico, apaguei de mim todos e quaisquer indícios de fraqueza betística, apenas me concentrando em satisfazer minhas puras e verdadeiras necessidades viris para saciar os meus instintos reprodutivos

Neste momento sentei ao lado da dama e começamos a conversar aquele papo protocolar que esses templos da luxúria estimulam em seus frequentadores. Quando eu estava partindo ao momento em que eu daria o lance pecuniário que comprovaria o meu amor pela Misha, algo fatídico ocorreu: um semi-alfa entrou na jogada. Sério, eu passei muita raiva, pois uma competição entre nós não seria equilibrada. Enquanto ele tinha um olhar altivo, confiante, ombros largos e boa prosa, eu tinha um olhar envergonhado, acovardado, ombros caídos e um papo extremamente introvertido. Quando o semi-alfa chegou olhando a minha sacerdotisa diretamente nos olhos e a pegou pela cintura, eu percebi que não teria condições de enfrentá-lo diretamente, visto eu ser mais covarde que uma cadela medrosa, mais repugnante que mortadela podre, mais feio que o um bucetão de vaca ou um cu de macaco fazendo bico e não ter atrativo físico algum que chame atenção alguma do sexo oposto. Pude até perceber que neste momento a Misha se esqueceu de seus interesses pecuniários, pois seu instinto feminino foi preponderante à sua racionalidade, de forma que ela ficou hipnotizada pelo semi-alfa, pela atitude dele. Eu chego até a apostar que ela se molhou inteira nesse momento. Felizmente, a sua experiência no mundo da luxúria causaria uma reviravolta nessa nossa história de amor.


Ao perceber que seria abandonando por minha recém-amada, além de estar sendo feito de otário até mesmo em um local em que nós deveríamos nos sentir acolhidos, tive uma ideia da qual me arrependo profundamente hoje: chamei o garçom e pedi um combo de frisantes. Pela primeira vez meu instinto territorialista se fez valer (pelo menos na minha cabeça). Como nesses ambientes não será a sua jovialidade e nem sua beleza física, mas sua condição financeira que será determinante, não preciso sequer contar que a Misha empurrou o semi-alfa para longe e pulou no meu colo, assim como se aproximou de mim mais uma dama tão adorável e desejável como ela (a qual chamarei de Alexia em homenagem a outra atriz que admiro muito), porém com seios turbinados e trabalhados que de tão lindos pareciam traduzir a descrição exata da perfeição. Minha auto-estima foi a mil, visto eu ter despertado tanto o interesse das damas mais desejadas desse dia como ter também jogado para escanteio um semi-alfa metido a gostosão. Porém os valores superfaturados nesses templos demonstram como o preço do tesão é caro, o que só é sentido quando tanto a bolsa escrotal como a carteira já estão vazios.

Ainda feliz em decorrência da influência etílica, saboreei esta derivação de elixir que não me apraz como minhas cervejas artesanais. Locupletado e poderoso, paguei as doses que as minhas sacerdotisas me pediram e galgado em minha experiência putanhística já defini com as damas quais seriam as minhas intensões lascivas quanto a elas, assim como os seus valores. Cada uma pediu R$400,00. Determinadas as prestações e contraprestações de nosso envolvimento carnal, seguimos nós três para o nosso ninho de amor para as devidas tratativas pecaminosas. Nesse momento me lembrei de quando a Jessie e a Kelsi saborearam meu palmito diabístico em uma situação bastante semelhante.

Com a lembrança daquele dia maravilhoso em mente, o little devil pulsava e implorava para ser ordenhado pelas minhas namoradas temporárias. A ansiedade era tanta que sequer esperei pelas preliminares, logo arrancando minha calça e cueca, apenas ficando de camisa e sapato na frente daquelas mulheres quase-perfeitas. Notei que elas se entreolharam e riram, talvez pela cena patética de verem um ser mais feio que um cu cagando com seu membro viril em riste de camisa e sapato. Porém como ótimas anfitriãs, logo trataram de tirar seus vestidos e ficaram apenas de lingerie, fazendo de conta que eu era um ser normal. Para delírio desse ser inescrupuloso que vos fala, seus corpos perfeitos especialmente preparados para fins lascivos me fizeram esquecer que eu sou um ser repugnante e depressivo, libertando uma felicidade reprimida que há muito tempo eu não sentia. Assim, removi de seus corpos o pouco de tecido que ainda os cobriam e neste momento eu pedi para elas se agacharem para que revesassem na degustação do membro viril diabístico. No momento em que as damas se aproximaram dele, lhe elogiaram o tamanho, a rigidez, a consistência e a aparência. Certamente elas foram sinceras em tudo, pois o little devil estava fervilhando de tesão e com veias extremamente salientes, além de seu tamanho ser acima da média. A sensação de ser engolido por essas damas ao mesmo tempo é maravilhosa, mas muito mais maravilhoso é a imagem que se tem ao olhar de cima essas criaturas disputando para ver quem lhe suga mais.


Não mais resistindo à necessidade masculina de preencher os vazios femininos, coloquei as minhas cortesãs na cama e parti para a fase de estocadas penianas. Como uma das exigências delas era a troca de preservativos assim que se mudasse o alvo, percebi que não poderia perder tempo, logo defini que a cada fração de tempo elas deveriam ser revesadas. Com a voracidade de um leão eu às devorava, sequer as deixando respirar. E assim foi até a consumação do meu momento ao qual eu não preciso entrar em detalhes, visto esse blog não ser de contos eróticos.

Após a recomposição dos até então amantes, é incrível como meu poder se esvaiu após a consumação do ato luxurioso. Ali eu voltei a ser o beta B horrível e desprezível de sempre, típico secador de vaginas e desmerecedor de qualquer afeto. Pior que isso, dessa vez eu estava com um rombo gigantesco em minhas contas, pois além dos R$800,00 pagos pelo serviço libertino, eu ainda teria que pagar as doses para cada uma das moças, assim como o combo de frisantes que eu pedi. No total, gastei em uma noite o que muitos betas aqui ganham em um mês, quase R$1500,00. Óbvio que elas não sabiam da minha condição financeira, ainda mais que não faço questão alguma de ser notado pelo tanto de dinheiro que sou capaz de produzir. Mas enfim...


E por mais enraivecedor que isso seja, o sentimento de como é ser foda é viciante. No meu caso eu tenho que pagar (e caro ainda) por isso, pois sou destituído de beleza facial e juventude, coisas quais que não se pode concorrer, nem dinheiro ganha (até um certo nível, diferente se você tiver muito dinheiro e andar com supercarros de luxo). Se eu fosse o semi-alfa que competiu comigo, duvido que teria que gastar o tanto que gastei para ter me divertido o que me diverti. E por que isso ocorre? Porque pessoas gostam do que é bonito. Por isso que eu digo que a única solução do beta é ter dinheiro. Se você é uma besta ambulante, uma aberração humana igual a mim, você só irá se foder. Só ter uma certa quantia em dinheiro não vai resolver. Para você concorrer com os beneficiados pela genética você tem que ter muita grana e estar incluído muito bem socialmente. Felizmente eu já venci muita coisa na vida, principalmente na parte financeira. No restante, como a forma que sou visto depende da vontade dos outros, já não me preocupa tanto. Só não posso esquecer de uma coisa: só o dinheiro salva!


Um abraço do Pobre-diabo!



Obs: 
- não se esqueçam de mandar suas histórias, perguntas, elogios ou críticas ao email diabístico (pobrediabo@protonmail.com);
- estarei inaugurando uma seção no blog em que outros betas poderão compartilhar suas frustações e fracassos com os demais a fim de evitarmos sucumbir nos mesmos defeitos. Ainda não decidi o nome;

sábado, 8 de julho de 2017

Real dolls: a salvação dos betas?


Há algum tempo eu havia visto algumas garotas lindas e gostosas, impossíveis de serem parceiras sexuais de betas B, C e D (que são os seres mais abomináveis e repugnantes criados pela natureza), se não fosse por um único motivo: elas são bonecas de silicone. Sim, essa garota da capa do post é uma boneca! Seja sexo convencional, oral, anal ou até coisas mais bizarras, tendo uma dessas o beta pode fazer o que quiser com elas, pois são imitações quase que perfeitas de um corpo humano. Agora a pergunta que não quer calar: como que deve ser fazer sexo com elas?

Pois bem, eu li alguns relatos sobre essas bonecas e muitos dizem que realmente a sensação de penetrar elas parece muito com o real. Quanto a isso, não tenho como afirmar, mas que fiquei muito curioso eu fiquei! Imagine como esse mercado será em uns 10, 20 ou 30 anos! Acredito que elas interagirão com nós e serão tão reais quanto mulheres normais, com a diferença de que poderão fazer tudo o que quisermos e serão infinitamente mais gostosas e fogosas do que qualquer mulher.

Acredito que esse assunto rende boa reflexões para nós betas, até porque a maioria dos betas ou se casarão com mulheres terríveis, tando fisicamente como de personalidade, verdadeiras monstruosidades de tão feias, ou ficarão sozinhos depressivos. Pensem a revolução que acontecerá com betas outrora depressivos, doente e virgens, como aqueles jovens herbívoros japoneses. Inclusive já tem sido uma realidade na vida de alguns betas, como esse retardado abaixo.

Japoneses encontram o amor em bonecas de silicone - "Depois que a minha mulher deu à luz, deixamos de fazer amor e senti uma profunda solidão", diz japonês que comprou uma boneca de silicone

Moças de aparência muito jovem, pele lisinha, rosto perfeito, cabelos bonitos, seios fartos e bunda redonda, elas estão disponíveis 24 horas por dia para os prazeres mais insanos dos homens. Antes um sonho impossível para betas, os quais foram proibidos pelos deuses de ter acesso à sexo de qualidade, hoje é possível transar com uma mulher perfeita, e o melhor, você pode fazer o sexo do jeito que você quiser. A única questão é se transar com uma garota dessas é tão real quanto se transar com uma mulher de verdade e se substituem estas.

O principal problema é a falta de interação e não existir toda a "conquista" até chegar ao ato sexual, coisas que muito encaram como importante e, de certa forma, excitante, não gostando de sexo combinado, como o caso de contratar profissionais. No meu caso, como estou me desenvolvendo diabisticamente, tenho me desapegado destes conceitos impostos pela sociedade. É claro que também sinto falta disso, porém meu objetivo é fortalecer meu psicológico e depender cada vez menos de mulheres, esses seres abomináveis que só querem saber de se aproveitar de betas coitados como eu e você.

À esquerda está a típica namorada de um beta D; no meio está uma das futuras namoradas artificiais do Pobre-diabo; à direita está a futura esposa dos betas iludidos que não quiseram se desenvolver diabisticamente

Imaginem este pobre-diabo, um beta B, mais feio que cu cagando, com sua cara judiada, seu corpo desengonçado e seu jeito tímido e escroto. Esse pobre animal, com sua genética pútrida, jamais teria acesso à mulheres de qualidade e muito menos a um amor verdadeiro, pois cá entre nós, quem seria a retardada que se apaixonaria por um excremento humano como eu se tivesse barganha para conseguir machos melhores? Pois bem, isso não será problema dentro de alguns anos. Para ilustrar, imagine a seguinte cena:

Pobre-diabo, muito cansado de sua rotina estressante no trabalho, chega em sua cobertura triplex e só quer saber de relaxar. Logo que entra, vai direto para a sua poltrona e senta. Diabo está com sede. Não precisa nem se levantar, pois Sophie, sua namorada real doll, modelo cyborg, já traz uma deliciosa cerveja artesanal gelada para ele se deliciar. A moça automaticamente abre o zíper de sua calça e lhe proporciona um delicioso sexo oral, bem molhado, macio e quentinho. Na sequência, a linda moça diz: - ESTOU INDO PREPARAR O SEU BANHO, MEU SENHOR. COLOCAREI SAIS DE BANHO NA SUA HIDROMASSAGEM, PARA QUE RELAXE BEM GOSTOSO. A linda voz da garota mais parece uma canção de ninar. - O SENHOR VAI QUERER FAZER SEXO ANAL DEPOIS? ALGUMA PREFERÊNCIA DE LINGERIE? COLOCO MAIS CERVEJAS IPAS PARA GELAR PARA QUE BEBA DEPOIS, JUNTAMENTE COM A MASSAGEM QUE FAREI NO SENHOR?

Isso seria um sonho. Talvez até melhor do que viver a base de GPs, embora eu ame essas moças e ache que sempre serão fundamentais na vida de nós betas. Já imaginaram, caros betas, o impacto que isto teria na vida dessas mulheres? Como seria para elas perderem o poder que tanto têm em virtude do poder que carregam entre as pernas? Certamente não seriam tão cruéis como são atualmente com nós betas. Quem manda no mundo é quem tem barganha sobre as demais pessoas, assim, uma vez que elas perdesse a barganha delas, nós betas diabísticos nos fortaleceríamos. Seria a nossa vingança!

Quem você escolheria? O ser horroroso da esquerda ou a linda garota artificial da direita?

Voltando ao assunto das real dolls, ainda o preço é altíssimo. Não sei da disponibilidade dos modelos perfeitos no Brasil, mas com base no que andei pesquisando, uma linda mulher dessas sairia por bem mais do que R$20.000,00 atualmente, ou seja, não compensa ter uma dessas, ainda mais sem ter a certeza de como deve ser se relacionar com uma. As GPs, civis e a auto estimulação ainda compensam mais. Porém é algo interessante a se pensar.

Será que essas garotas conseguem suprir a necessidade sexual dos betas? E a carência afetiva que carregam devido à matrix impregnada em suas mentes? O movimento internacional diabístico tem como meta pregar o desapego emocional, assim como o pensamento livre de ilusões e totalmente racional. Depois disso vem todo o desenvolvimento social, intelectual e financeiro. Acredito que essas garotas serão substitutas perfeitas no futuro, sendo a salvação de muitos betas excrementos, que passaram a vida sofrendo betafobia e misobetia.

Você já se imaginou transando com uma das garotas da foto abaixo? Todas são artificiais, embora o realismo de seus corpos seja incrível. Acredito que o único problema disso tudo é o fato de betas terem a necessidade de se auto afirmarem em público, como sendo um dever andar com namorada/esposa ao lado, exibindo-a socialmente como uma forma de sentirem-se parte de algo, mais superiores e menos lixos. O sonho de betas lixosos, matrixianos iludidos é andar de mãozinha dada com namoradinha no shopping e mudar seus status de relacionamento nas redes sociais. Saiba que tenho nojo de você caso você seja assim, seu beta imundo, você merece o meu desprezo e se tivesse na minha frente iria levar um murro bem dado na cara. Só penso no meu prazer.

Mais alguns exemplares dessas belas garotas. Já imaginou o que teremos dentro de 20 a 30 anos?

Enfim, betas poderão comer suas mulheres artificiais de todas as formas, fazendo sexo anal todo dia, inclusive gozando na boca de suas bealdades, coisas estas que a maioria dos betas jamais fez e jamais fará, pois este direito divino foi dado de graça apenas para alfas. Menage? Vai ser algo normal, basta ter dinheiro para comprar suas esposas artificiais. Betas que outrora eram apaixonadinhos e iludidos por mulheres feias e cruéis, não precisarão mais delas, pois terão mulheres maravilhosas em casa, que jamais os farão de cornos, serão sempre agradáveis, farão tudo o que quiserem e garantirão todo o prazer possível. Acredito até que muitas poderão se passar por mulheres reais, tamanho o realismo que a tecnologia garantirá. 

Comparem todos os avanços científicos e tecnológicos dos últimos tempos. Não vejo dificuldade nenhuma em tudo isto realmente acontecer. O sexo não será mais um problema crônico betístico. Será o fim do poder supremo bucetístico das mulheres e da opressão sem limites aos betas? O que será que o futuro nos reserva? Será que esta será a salvação dos betas?


Um abraço do Pobre-diabo!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Uma tristeza diabística


Caros betas diabísticos, boa noite. Eu gostaria muito de ter uma justificativa para o atraso do post, porém eu não tenho. Não tenho essa justificativa porque ela não decorre de questões de relapso, mas muito mais de questões do acaso. Tanto é que estou escrevendo agora aqui do bar em que tomo minhas deliciosas IPAs, porém hoje elas não estão saborosas quanto normalmente são. Não que elas estejam ruins, mas é porque minha alma diabística está profundamente amargurada e inconsolável.

Recebi ontem a noite a notícia de que meu amigo foi assaltado no seu emprego, tendo recebido um tiro no peito ao qual provavelmente ele não resistirá. Suas chances são mínimas e do hospital não estamos tendo as notícias de seu estado atual. Mesmo ele sendo tratado por especialistas, essa falta de comunicação evidencia que as coisas não estão muito boas.

Aqui no bar estou bebendo porque não consigo (em um estado normal) aceitar que esse tipo de injustiça aconteça com pessoas boas. Esse meu amigo é um claro exemplo disso. Homem trabalhador, honesto, justo, um cara que não faz nada errado, acaba sendo injustiçado pelo destino porque um filho de uma puta de um ladrão de merda covarde decidiu atirar contra ele porque se sentiu ameaçado enquanto praticava o seu crime. E esse meu amigo, por causa desse Estado cretino que priva seus cidadãos de andarem armados, acaba sendo vítima de uma ação na qual qualquer tipo de possibilidade de defesa lhe foi negada. Pensem comigo: quando criaram esse lixo do estatuto do desarmamento e criminalizaram aqueles que o descumprissem, quem era que estava sendo o alvo? O cidadão honesto que cumprirá a lei e deixará de ter uma arma ou o criminoso que já vive às margens da lei e aproveitará essa oportunidade para executar mais crimes? Será que é necessário falar alguma coisa?

Desculpem o atraso e o clima de tristeza, mas hoje não estou com inspiração para comentar nada por aqui. Apenas estou dando as caras em respeito aos betas diabísticos que me acompanham e torcem por mim. Prometo que sábado postarei normalmente.


Um abraço do Pobre-diabo.

sábado, 1 de julho de 2017

DIABOLADAS #2


Salve, salve, caríssimos betas!!! Temos hoje no primeiro sábado do mês a segunda DIABOLADAS! Para quem ainda não sabe, DIABOLADAS é um formato de post em que apresento notícias que são destaques na imprensa e que permitem grande reflexão por parte dos betas, uma vez que somos bombardeados por notícias terríveis todos os dias que escancaram a realidade betística as quais nos deixam inquietos de tanta raiva por existirem seres tão toscos, escrotos, ridículos e insignificantes como nós (betas) que fazem coisas idiotas, covardes, vergonhosas e emasculantes. Às vezes acabamos percebendo o comportamento betístico até mesmo em alfas, os quais se subjugam ao poderio maligno bucetístico, causando ainda mais raiva em nós, meros pobres-diabos.

Eu iria contar hoje a vocês uma experiência de uma noite totalmente diabística na qual eu reduzi a nada um semi-alfa e demonstrei como o poderio financeiro é muito mais valioso que quaisquer outros atributos inexistentes em um beta. Porém como eu sou um homem que mantém a sua palavra, estarei relatando agora as tão desejadas e esperadas DIABOLADAS.


PROFESSORA É PRESA APÓS SEXO COM TRÊS ALUNOS ADOLESCENTES



Uma professora de matemática da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, foi presa na última quinta-feira depois de ser acusada de ter feito sexo com três de seus alunos adolescentes. Erin McAuliffe, de 25 anos, foi presa depois de vários colegas de trabalho e alunos serem entrevistados ao longo de um mês de investigações policiais.




Segundo a polícia, Erin teria feito sexo com três meninos, dois de 17 anos e um de 16, em um local fora da escola. Uma investigação foi iniciada depois que a equipe de administração da escola informou a polícia sobre a suposta má conduta da professora de matemática.

Reflexão diabística

Tomando por base as imagens que temos da professora, qualquer beta A, B, C ou D daria a sua vida para ter uma mulher como essa ao seu lado. Não que ela seja o expoente dos desejos betísticos, mas é muito mais que qualquer mediana que dê moral a um beta. Porém, uma coisa que não entra na cabeça de qualquer homem diabístico formado é: QUE DIABOS ELA ESTAVA PENSANDO/ESPERANDO AO DAR PARA UM ADOLESCENTE??? Óbvio que a notícia não detalha quem eram os felizardos, porém uma coisa eu tenho certeza: eles não eram uns merdas como nós. Sendo reconhecidamente afirmado pela ciência que o desejo sexual é muito mais forte no polo masculino que no feminino em decorrência da influência da testosterona, isso nos leva a concluir que ou os alunos eram promissores alfas ou eles tinham algo que poderia beneficiar essa professora. Não adianta você vir dizer que isso é uma afirmação machista, porque isso realmente não é. Por acaso, quando foi a última vez que qualquer beta aqui comeu uma mulher (de qualidade) porque ela simplesmente queria dar? Quando alguém aqui viu um desejável exemplar do sexo feminino permitir a exploração de suas intimidades sem existir uma contrapartida razoável? Apenas os homens transam sem motivo algum, logo percebemos que o desejo feminino sempre está condicionado a uma variável, seja ela sentimental ou seja ela material.

Vamos partir para a próxima diabolada...

FOTÓGRAFO E EX-AFFAIR DE BRUNA MARQUEZINE É O PIVÔ DA SEPARAÇÃO DA ATRIZ E NEYMAR


Beto Gatti, 30 anos, foi apontado como o affair de Bruna Marquezine em 2014, quando eles viajaram juntos para Los Angeles, nos EUA, na primeira vez em que a atriz e Neymar se separaram. Na época, o fotógrafo chegou a dizer que era muito amigo de Bruna e postou fotos com ela nas redes sociais. Os dois, porém, não se seguem mais no Instagram. Não é novidade para os amigos do ex-casal que Neymar sempre morreu de ciúme dele.




Mesmo depois de toda essa confusão, Bruna e Beto continuam próximos. Nesta quarta-feira, eles estiveram na festa de aniversário de Manu Maya, filha do diretor Wolf Maya, no Rio, onde o fotógrafo e a atriz moram.

Reflexão diabística

Expliquem para mim, caros betas, como é possível um cara ter tanta proximidade com uma mulher quando ele tem potencial para desbancar qualquer concorrente? Ou ele é gay ou ele é um cafajeste de primeira categoria que fica marmitando uma mulher enquanto ela enrola o namorado iludido, mesmo ele sendo mais fora que 95% da população mundial. Pior quando o namorado é um cara alfa. Pior ainda quando o namorado dessa mulher é simplesmente um dos caras mais famosos do mundo. E é aí que entra a questão diabística: se um cara tão foda e tão rico como esse é enrolado por uma mulher, o que será do pobre beta que mal tem dinheiro para sobreviver? Será que vocês não concordam comigo que essa psicose betística de desejar uma loira virgem com orifícios aroseados não é uma ilusão intangível? Será que não seria mais fácil o beta aceitar ser o refugo humano que é e satisfazer a sua libido com as damas da luxúria do que desejá-las ter sob sua influência? Sinceramente, eu não consigo entender como homens concedem ceder o melhor de si (tempo, dinheiro e esforço) unicamente para terem um pouco de atenção de uma mulher que mal e porcamente vai transar com ele, vai fazer jogos sentimentais e caso ocorra uma separação, levará 50% daquilo que era a sua realidade. Ou o beta é insano ou ele é burro. Apenas isso.

Por fim, vamos à última diabolada:

POLICIAL CIVIL MATA EX-SOGROS E SE SUICIDA EM NITERÓI


O policial civil Marcelo Flávio Camardella Bravo, de 41 anos, separado havia oito meses, invadiu a casa dos ex-sogros, em Niterói (região metropolitana do Rio), matou os dois e depois se matou, na manhã desta quinta-feira, 22.

Após a separação, feita contra a vontade do policial, sua ex-mulher tinha ido morar com os pais e levou a filha do casal, de 5 anos. Por volta das 10h30 desta quinta, Bravo, que trabalhava na 24ª DP, em Piedade (zona norte do Rio), invadiu a casa dos sogros, na Rua Airosa Galvão. A ex-mulher não estava, e o policial imediatamente atirou contra o ex-sogro, matando-o. A ex-sogra tentou fugir e foi alvejada também, mas não morreu imediatamente.

Reflexão diabística

Mais uma notícia envolvendo o abalo psicológico do poderio bucetístico sobre a fraca cognição do beta por razões mais fortes que o seu intelecto. Nesta notícia temos o fato de um policial ter feito uma das atitudes mais ridículas que um homem pode fazer: matar por causa de mulher. Entenda uma coisa, seu ser inútil: se a mulher não quer permanecer com você, existem mais de 3 bilhões de outras mulheres no mundo que estão dispostas a alguma coisa, nem que seja para te humilhar após um sexo mal feito. Qual a razão de tirar a vida de uma pessoa só porque ela não sente mais prazer em sua presença? Será que você não nota que isso não é uma condenação, mas uma libertação? Será que só pela necessidade de ser aceito você aceitará condenar a sua liberdade? O fraco do beta é ser restritivo quanto ao seu ambiente, logo ele por ser inseguro tenta manter o status quo a qualquer esforço. Qualquer mudança não significa uma oportunidade, mas um rompimento de sua realidade.


Conclusão

A conclusão é simples: não deixem o superficial dominar o principal. A sensação não é mais importante que o definitivo, logo o beta diabístico não deve se submeter às aparências. Assim, foquem-se no desenvolvimento financeiro que o resto virá.


Abraço do Pobre-diabo!